Publicidade

Notícias de Última Hora

Ibope: Bolsonaro sobe 4 pontos e tem 31%, e Haddad se mantém com 21%

Ibope: Bolsonaro sobe 4 pontos e tem 31%, e Haddad se mantém com 21%

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL), Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) Foto: Arquivo O GLOBO
O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro , cresceu quatro pontos percentuais e chegou a 31% das intenções de voto, segundo o Ibope , ampliando para dez pontos a vantagem sobre o segundo colocado, Fernando Haddad (PT), que se manteve estável com 21%. É a maior distância entre os dois desde meados de setembro, quando foi feito o primeiro levantamento que captou a oficialização do ex-prefeito de São Paulo como candidato petista, no lugar do ex-presidente Lula.


Além de não ter elevado seu patamar em uma semana, a nova pesquisa trouxe outra má notícia para Haddad: a disparada de sua rejeição, que saltou 11 pontos — era de 27% na quarta-feira e chegou a 38% nesta segunda-feira. A rejeição a Bolsonaro ficou estável, em 44%.


O crescimento do candidato do PSL coincide com a intensa exposição de seu nome no fim de semana — os eleitores foram entrevistados no sábado e no domingo. Atos contra o capitão da reserva foram organizados por todo o país no sábado. O movimento foi capitaneado por mulheres e chamado por redes sociais, com o título #EleNão. Em resposta, apoiadores de Bolsonaro fizeram carreatas em diversos estados. Também no sábado, o deputado recebeu alta do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 7 de setembro, após ser atacado com uma facada em Juiz de Fora (MG).

Já a estagnação de Haddad e o aumento de sua rejeição podem ser um efeito reverso da mesma fórmula que o alçou ao segundo lugar: a intensa associação de seu nome ao de Lula. Adversários, como Geraldo Alckmin (PSDB), têm explorado a participação de Haddad no governo do petista e escândalos de corrupção no governo federal que foram desvendados pela Operação Lava-Jato.

Como os outros candidatos — que já aparentaram ser competitivos — não se movimentaram e continuam distantes, a pesquisa aponta dois cenários: um segundo turno entre Bolsonaro e Haddad e a vitória do candidato do PSL no primeiro turno.

Na contagem dos votos válidos, quando brancos e nulos são excluídos, Bolsonaro tem 38%, contra 25% de Haddad. São necessários mais de 50% para liquidar a disputa. Em 20 de agosto, na primeira pesquisa após o início oficial da campanha, o capitão da reserva tinha 32%, levando-se em consideração os votos válidos.

Ciro Gomes (PDT) oscilou um ponto negativamente e marcou 11%. Ele está em empate técnico com Alckmin, que permaneceu com 8%. Marina Silva (Rede) oscilou dois pontos para baixo e agora tem 4%, empatada tecnicamente com o tucano e com João Amoêdo (Novo), que marcou 3%, Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias, que se mantiveram com 2%, e Cabo Daciolo (Patriota), que tem 1%. Guilherme Boulos (PSOL), Eymael (DC) e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram. João Goulart Filho (PPL) não foi citado. Brancos e nulos somaram 12%, enquanto 5% não responderam.

Com informações O Globo