Publicidade

Notícias de Última Hora

O PT ainda não entendeu o fenômeno Bolsonaro

A pesquisa da RealTime Big Data mostra que a vitória do candidato do PSL só não acontecerá se ocorrer algo extraordinário

Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) disputam o segundo turnoRicardo Moraes/Washington Alves/Reuters
Os números podem ser torturados, mas não costumam mentir.

A dianteira estupenda que Jair Bolsonaro colocou sobre Fernando Haddad na pesquisa do RealTime Big Data vai aumentar ainda mais a estupefação que domina o PT (e a esquerda como um todo), desde que o candidato do PSL, contrariando todas as previsões, varreu as urnas com uma agenda liberal na economia e conservadora nos costumes.

Ainda atordoado pela onda bolsonarista, o PT segue aparvalhado, zonzo, confuso, sem saber direito como enfrentar o adversário.


Lula foi escondido.

A bandeira vermelha trocada pela verde e amarela.

O programa mudado.

A linguagem de libras foi incorporada (Bolsonaro fez antes).

Ciro Gomes paparicado.

FHC reverenciado.

Nada deu certo.

Os "fascistas" avançam e os "democratas" são incapazes de perceberem os sinais de uma nova ordem, em que os valores vindos do Exterior sob a chancela do politicamente correto, ou do que é "progressista" encontram resistênca na camada que até agora se mantinha passiva na sociedade brasileira.


As manipulações não convencem mais aqueles que não dependem das esmolas do assistencialismo inócuo e perverso. A luta contra a corrupção ganhou o centro do palco e enxotou o PT para os rincões mais profundos do País.

Estava tudo aí.

Só faltava um candidato.

Do R7