Notícias de Última Hora

Helder assegura parcerias para seu plano de governo

Reunião Derrocamento Pedral do Lourenço 
 Relatório recente divulgado pela Confederação Nacional do Transporte mostrou que seriam necessários investimentos de mais de 125 bilhões em 116 projetos de infraestrutura de transporte e logística para transformar o Pará em um dos estados mais competitivos e modernos do país nos próximos 10 anos. Entre as áreas consideradas prioritárias estão a melhoria no transporte hidroviário e a construção de novos aeroportos em cidades consideradas estratégicas para o desenvolvimento e a melhoria nos índices sociais do Estado.

Essa agenda de prioridades tem sido tema de reuniões do governador eleito Helder Barbalho em Brasília. Na semana passada, ele percorreu gabinetes de ministérios e instituições em busca de recursos e parcerias que podem contribuir para o projeto de infraestrutura traçado pelo futuro governador, dentro do plano de governo que estabelece o crescimento por meio de um sistema logístico eficiente e de qualidade. Um dos encontros mais importantes aconteceu na sede do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.


A reunião com a presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Suely Araújo, determinou novas datas para o início das obras de retirada das pedras do leito do rio Tocantins, o que vai permitir a plena navegabilidade da Hidrovia Araguaia/Tocantins, um dos principais eixos de desenvolvimento do país, com importância estratégica, já que serve de principal atrativo para grandes empreendedores nacionais e internacionais.

A data anteriormente estabelecida para dar início ao derrocamento do Pedral do Lourenço era em 2020. Preocupado com possíveis atrasos, sobretudo por influência do período de chuvas que tradicionalmente interrompem obras no Pará, Helder Barbalho fez um apelo para que a data fosse antecipada.

Reunião Minha Casa Minha Vida 
PRAZOS

“Faço um apelo para que avaliem a possibilidade de compatibilizar os prazos para que se possa trabalhar com mais intensidade nas obras no período de novembro a fevereiro, período em que é possível avançar sem tanta interrupção por causa das chuvas”, solicitou. Após ajustes em prazos que podem ser flexibilizados, ao final do encontro ficou definido que o início da obra será em agosto de 2019, época de estiagem na região.

Participaram dessa reunião o diretor de Licenciamento Ambiental, Jonatas Sousa da Trindade, e superintendentes de todas as áreas responsáveis pelo processo de licenciamento. Também estavam presentes o ministro da Integração, Antônio de Pádua Andrade; o vice-governador eleito, Lucio Vale; o secretário executivo do Ministério dos Transportes, Herbert Drummond; o diretor de Infraestrutura Aquaviária do Dnit, Erick Moura, entre outros.

MELHORIAS PARA AEROPORTOS REGIONAIS DO ESTADO

Na sequência, o governador eleito Helder se reuniu com a secretária Nacional de Aviação Civil, Fabiana Todesco, para tratar de uma reivindicação antiga que é a melhoria de aeroportos regionais do Estado.


No ano passado, quando estava à frente do Ministério da Integração Nacional, Helder garantir apoio da Secretaria de Aviação Civil (SAC) para a realização de diversas obras de infraestrutura e equipamentos para aeroportos paraenses. Os recursos foram assegurados junto ao Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC). Na primeira etapa foram priorizadas obras nos municípios de Breves, Itaituba, Paragominas e Redenção.


OBRAS

Os aeroportos vão receber novos terminais de passageiros, aumento de pátio de aeronaves, reforço de pista de pouso e decolagem e equipamentos para balizamento noturno. Como o recurso já está garantido desde o ano passado, o governador eleito quis saber da Secretaria de Aviação Civil qual a razão do atraso, já que, pelo tempo decorrido, o processo licitatório já deveria estar concluído. “O gargalo é o projeto”, justificou a secretária Fabiana Todesco. Segundo ela, o projeto é feito pelo Comando Regional da Aeronáutica (Comara), que não tem técnicos suficientes para executarem o trabalho.

“Em um Estado como o Pará, há a necessidade de estarmos interligados, seja pelas nossas estradas, pelos nossos rios e, claro, tendo a oportunidade de ter uma malha aeroviária estrutural. Nessas cidades, nessas regiões a necessidade não é apenas de receber voos comerciais e voos noturnos, o que ajuda sob o âmbito econômico, mas o que pesa é principalmente o fator de poder salvar vidas”, destacou Helder.

Para agilizar essa fase do processo, ele propôs uma parceria entre o governo do Estado e o Comara, cujo convênio pode ser feito por meio do próprio Ministério. A sugestão foi aceita e, tão logo assuma o governo, Helder vai encaminhar a proposta para o Ministério dos Transportes, ortos e Aviação Civil.

Reuniões com representante do BID e com ministros


Reunião BID
Dando prosseguimento à série de compromissos em Brasília, Helder Barbalho participou de um importante encontro com o representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Hugo Flores Timoran. O tema inicial tratado foi a continuidade da parceria firmada com o banco para a melhoria da Educação no Pará. O governador eleito disse que há o interesse de ambas as partes que esse acordo seja continuado e ampliado. “A educação é um dos nossos principais desafios e confirmamos com o BID essa importante parceria”.

Na saída do encontro, Hugo Flores anunciou o interesse do Banco em ampliar a parceria com o Pará. Segundo ele, essa parceria pode ser ampliada na área da saúde, para a construção de estradas, na ação social, entre outras ações. Atualmente o Banco Interamericano de Desenvolvimento atua em parceria com outros estados brasileiros inclusive na área de segurança pública, como é o caso do Rio Grande do Sul.

No final do dia, Helder Barbalho participou de seu último compromisso. No Ministério das Cidades, juntamente com o ministro da Integração, Antônio de Pádua, o governador eleito do Pará solicitou ao ministro Alexandre Baldy celeridade na aprovação de projetos para o Estado do Pará, como obras do Minha Casa Minha Vida que estão em fase de acabamento.


(Luiza Mello/Diário do Pará)