Notícias de Última Hora

Empresa realizará expedições de pesquisa para o Titanic em 2019

A intenção é que a primeira expedição de pesquisa do Titanic aconteça no ano que vem, em junho

Wikimedia Commons
No fundo do mar desde 15 de abril de 1912, após colidir com um iceberg, o Titanic poderá ser “visitado” em operações submersas da empresa OceanGate Expeditions.

A intenção é que a primeira expedição de pesquisa do Titanic aconteça no ano que vem, em junho. “Dada a escala maciça do naufrágio e do campo de destroços, múltiplas missões realizadas ao longo de vários anos serão necessárias para documentar e modelar completamente o naufrágio. Este levantamento longitudinal para coletar imagens, vídeos e dados de sonar fornecerá uma base objetiva para avaliar a deterioração do naufrágio ao longo do tempo e ajudar a documentar e preservar seu histórico submerso”, diz a empresa em seu site.

A expedição ocorrerá para que a equipe de exploração realize pesquisas anuais do naufrágio em colaboração com especialistas científicos e de imagem de várias organizações como parte de um estudo de longo prazo para documentar a condição atual do patrimônio marítimo do Titanic.


A expedição está programada para partir de St. John’s, Newfoundland, em junho de 2019, com cientistas, especialistas em conteúdo e especialistas em missão se unindo à tripulação em uma série de missões semanais. A taxa de suporte que o especialista deverá pagar para participar das missões é de US$ 105,129 por pessoa. O valor é equivalente ao custo de um tíquete para a primeira classe na viagem inaugural do Titanic corrigindo com a inflação.

O tamanho da tripulação da expedição para cada missão é de cerca de 30 pessoas, incluindo nove especialistas em missões, pilotos submersíveis, equipe de operações e especialistas em conteúdo. Indivíduos qualificados se juntam à tripulação como especialistas em missões para apoiar a missão, ajudando a subscrever a expedição e ajudando ativamente a equipe a bordo do submersível e do navio em funções como comunicações, navegação, operação de sonar, fotografia e planejamento de mergulho.

Objetivo da expedição de pesquisa:

– Criar modelo 3D detalhado do naufrágio e partes do campo de detritos usando o mais recente sonar de feixe múltiplo, a varredura a laser e a tecnologia de fotogrametria.

– Capturar dados e imagens para o estudo científico continuado do site.

– Documentar a condição do naufrágio com fotografias e vídeos de alta definição.

– Documentar a flora e a fauna que habitam o local do naufrágio para comparação com dados coletados em expedições científicas anteriores para avaliar melhor as mudanças no habitat e no patrimônio marítimo.

Por Jovem Pan