Publicidade

Notícias de Última Hora

Sonda Curiosity flagra objeto brilhante na superfície de Marte

De acordo com pesquisadores da NASA, é provável que a sonda tenha identificado um meteorito que caiu no Planeta Vermelho

UM AUTO-RETRATO FEITO PELO CURIOSITY, DA NASA, EM 15 DE JUNHO DE 2018, EM MARTE. NA FOTO, É POSSÍVEL VER COMO O PLANETA FICOU APÓS A TEMPESTADE DE AREIA. (FOTO: NASA/JPL-CALTECH/MSSS)
Um ponto brilhante em meio à vastidão da superfície avermelhada de Marte chamou a atenção dos pesquisadores da NASA: a foto foi captada pela sonda Curiosity, que aterrissou no Planeta Vermelho em 2012 e desde então fornece diferentes informações aos astrônomos. O objeto de aspecto curioso semelhante a uma pepita foi identificado na última segunda-feira (26 de novembro) e desde então é investigado pelos especialistas.


De acordo com Susanne Schwenzer, cientista que faz parte da equipe da Curiosity, o mais provável é que o objeto na superfície marciana seja um meteorito por conta de seu aspecto brilhante. Apesar disso, só será possível chegar a uma conclusão detalhada após uma análise química: além de ser equipada com diferentes câmeras, a Curiosity também possui tecnologias para coletar rochas e realizar uma inspeção de suas propriedades físico-químicas.


Após o primeira exame feito pela Curiosity, os astrônomos envolvidos no projeto terão a oportunidade de receber os dados e realizar outras investigações a respeito da constituição do objeto a partir dos laboratórios da NASA.

Na última semana, a agência espacial norte-americana também passou a contar com outra sonda no Planeta Vermelho: após percorrer 480 milhões de quilômetros, a InSight aterrissou com sucesso na superfície marciana.

DETALHE DE OBJETO BRILHANTE LOCALIZADO PELA CURIOSITY (FOTO: DIVULGAÇÃO/ NASA)
A InSight é a primeira missão destinada ao estudo do interior do planeta: os cientistas esperam captar mais informações sobre a constituição geológica de Marte, como o tamanho e a composição de seu núcleo. A NASA estima que os instrumentos de pesquisa da InSight funcionem por pelo menos um ano marciano, o equivalente a cerca de dois anos terrestres.

Fonte: Galileu