AO VIVO

Notícias de Última Hora

Governador Helder Barbalho vai a velório de PM assassinado em Mosqueiro e presta homenagens

Para o comandante do 25º Batalhão da Polícia Militar (BPM), de Mosqueiro, Wilson Araújo, a atitude do governador é muito importante para a corporação. "Eu não lembro de ver um governador fazer isso: deixar os seus afazeres, que sabemos que são muitos, para estar no velório e no enterro de um policial militar. Para nós, essa é a atitude mais nobre que se poderia ter", disse.

Foto: Thiago Gomes / Agência Pará
Na manhã deste sábado (12) foi velado e sepultado o corpo do Sargento da Polícia Militar Max Pedro da Silva Ferreira, de 48 anos. Ele tinha 24 anos de corporação e foi assassinado na última quinta-feira (11), no distrito de Mosqueiro. O PM deixou esposa e três filhos, um de 14, outro de 9 e o mais novo de 7 anos. O governador Helder Barbalho, o comandante geral da PM, Dilson Jr, o Secretario de Segurança Pública, Ualame Machado e o delegado-geral da polícia civil, Alberto Teixeira, estiveram presentes.


O PM foi assassinado por volta das 17h, no bairro do Carananduba. Segundo a corporação, os assaltantes queriam a arma do policial. Ele foi morto com vários tiros na cabeça e morreu na hora. Um dos responsáveis pelo crime morreu e o outro está foragido.

Para o comandante do 25º Batalhão da Polícia Militar (BPM), de Mosqueiro, Wilson Araújo, a atitude do governador é muito importante para a corporação. "Eu não lembro de ver um governador fazer isso: deixar os seus afazeres, que sabemos que são muitos, para estar no velório e no enterro de um policial militar. Para nós, essa é a atitude mais nobre que se poderia ter", disse.

Foto: Thiago Gomes / Agência Pará
O Sargento Max nasceu em Mosqueiro e foi da turma de formação de oficiais do distrito. A tia do PM, Valmira Amador, de 54 anos, disse que a presença do governador demonstra o comprometimento dele com o povo do estado do Pará. “Todos que estão aqui votaram nele e a presença dele aqui mostra que acertamos na escolha. Esse foi o primeiro assassinato de PM em Mosqueiro e ele estava aqui. Que ele continue assim, porque queremos que ele seja o nosso governador por oito anos”, disse.

O governador Helder Barbalho destacou a celeridade com que a polícia respondeu ao crime. “Em oito horas um dos responsáveis morreu em confronto com a polícia e os outros já foram identificados. Estamos empenhados em levar paz para o povo do Pará”, afirmou.


Helder confirmou que o governo estará ao lado da polícia no enfrentamento à criminalidade e que a identificação dos envolvidos neste crime já é um resultado efetivo desse novo modelo de gestão da segurança pública. “Todo e qualquer crime, envolvendo um agente de segurança ou qualquer cidadão, terá resposta rápida, tanto aos esclarecimentos quanto as estratégias de ostensividade. Os primeiros 10 dias de governo já demonstram a redução de crimes, seja de homicídios ou roubos”, concluiu.

O Secretário de Segurança Pública, Ualame Machado destacou a importância de todos os presentes. “Se o governador é presente, a equipe dele também têm que ser. Não só na última homenagem ao Sargento Max, mas também em todas as ações do Estado. A gente que estar perto da tropa, passando o recado e o que a gente quer falar para a população é que nós estamos trabalhando para reduzir esses índices. Nós já temos um comparativo com 2018, a redução é significativa, mas não basta a gente reduzir os números, a gente quer que a população sinta a diferença”, disse.

Foto: Thiago Gomes / Agência Pará
O comandante geral da PM, Dilson Jr, por sua vez, falou do quanto ficou agradecido pela presença do governo no enterro . “Nunca vimos isso e sabemos que isso mostra que os próximos quatro anos representam uma nova era para a segurança pública no Estado do Pará. Um tempo de paz para a população, que começa com a realização de concurso público, que o governador prometeu fazer”.

O delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira, destacou algumas ações importantes como investimentos em inteligência e aumento do efetivo para que a criminalidade seja reduzida. Também já existe a previsão de concurso público para aumentar o efetivo. “Hoje temos 16 mil homens, quando deveríamos ter 32 mil. O governador se comprometeu a incorporar 1.800 homens policiais/ano.


Por Governo do Estado do Pará