AO VIVO

Notícias de Última Hora

MPF pede ação da Polícia Federal contra invasão de madeireiros na Terra Indígena Arara, entre Uruará e Medicilândia

A área é uma das atingidas pela construção da usina de Belo Monte e é uma das mais desmatadas do país, segundo o MPF

Terra Indígena é alvo de invasão de madeireiros no Pará. — Foto: Ibama
O Ministério Público Federal (MPF) informou nesta sexta-feira (4) que pediu para a Polícia Federal acompanhar as denúncias de invasão de madeireiros na Terra Indígena (TI) Arara, localizada entre Uruará e Medicilândia, no sudoeste do Pará.


A reserva onde vivem cerca de 290 indígenas é uma das localidades atingidas pela construção da usina de Belo Monte, em Altamira, e é uma das áreas indígenas mais desmatadas devido a extração ilegal de madeira, segundo o órgão.


De acordo com o MPF, existem duas ações na Justiça Federal pedindo a criação de um sistema de vigilância para a área, já que a construção da usina previa o aumento de casos de extração ilegal de madeira. A medida é uma das condicionantes da obra que não foi cumprida, segundo as ações.

Denúncias apontam ação constante de extração ilegal de madeira em área indígena, no sudoeste do estado. — Foto: Ibama
De acordo com a Fundação do Índio (Funai), madeireiros estão no local desde o dia 30 de dezembro. Segundo as denúncias, os invasores estariam loteando terrenos.

Tratores usados para extração ilegal de legal foram encontrados em área indígena. — Foto: Ibama
A Funai disse que monitora a situação e que já notificou a PF, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e MPF sobre os riscos da invasão. Já o Ibama disse que vai articular atuação para coibir ação ilegal na área em conjunto com a Funai, MPF e PF.

Toras foram abandonadas por madeireiros que fugiram do local. — Foto: Ibama
Em outubro de 2018, o Ibama recebeu imagens que flagraram a ação de madeireiros na região. Nas fotos, aparecem tratores derrubando árvores, toras de madeiras abandonadas pelos invasores que fugiram.

Por G1 PA