Notícias de Última Hora

Somália pede à ONU para não intervir em seus assuntos internos


A Somália reivindicou nesta quinta-feira (3) ao Conselho de Segurança das Nações Unidas que se abstenha de interferir em seus assuntos internos, após ter expulsado o emissário da ONU do País.


O funcionário das Nações Unidas expulso do País questionou a decisão do governo da Somália de deter um ex-shebab candidato em uma eleição regional.

O embaixador somali Abukar Dahir Osman não mencionou especificamente a expulsão de Nicholas Haysom, mas ressaltou que seu país precisava do apoio, e não das críticas, do organismo internacional.



O representante diplomático da Somália declarou:

A ONU e seus representantes têm o dever e, inclusive, a obrigação, de respeitar seu mandato e não interferir em nossos assuntos internos e deixar os somalis tomar seu próprio destino em suas mãos.

Declarou ainda que os ex-shebab não podem “assumir cargos de responsabilidade sem passar por programas escritos e estabelecidos de reabilitação”.

Com informações da AFP