Notícias de Última Hora

Vale decide acabar com todas as barragens de montante, iguais a que rompeu em Brumadinho

Segundo o presidente da empresa, a decisão deve gerar prejuízos financeiros à empresa, uma vez que é preciso paralisar a operação de todas as unidades ao redor dessas barragens

Reprodução/Youtube
O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, afirmou em entrevista coletiva nesta terça-feira que ‘descomissionará’ todas as barragens no modelo montante, iguais a que rompeu na cidade de Brumadinho (MG).

Segundo Schvartsman, atualmente existem dez barragens nesse modelo construtivo no Brasil sob a gestão da mineradora, todas já estão inoperantes. “Descomissionadas significa que elas serão devolvidas à natureza”, explicou.


O plano foi apresentado aos ministros de Minas e Energia, almirante Bento Costa Lima Leite, e do Meio Ambiente, Ricardo Salles. “Trouxemos a decisão da companhia de fazer de uma vez por todas o que é necessário para encerrar qualquer dúvida sobre a segurança do sistema de barragens da Vale”, afirmou Schvartsman. “Não podemos conviver mais com esse tipo de barragem”, disse.

A decisão deve gerar prejuízos financeiros à empresa, uma vez que é preciso paralisar a operação de todas as unidades ao redor dessas barragens. De acordo com Schvartsman, a Vale retirará de sua produção 40 milhões de toneladas por ano de minério de ferro e 11 milhões de toneladas de pelotas de ferro. “Isso representa um esforço inédito de uma empresa no sentido de dar uma resposta cabal a altura da tragédia de Brumadinho”, afirmou.

O trabalho de descomissionamento começará logo após a concessão das licenças pelo governo. “Dependendo da barragem, pode levar no mínimo 1 ano e no máximo três”, explicou o presidente.

As outras barragens que a Vale possui são do método convencional, que segundo o Schvartsman, nunca registraram qualquer problema no Brasil ou no mundo.

Por Jovem Pan