DESTAQUE

JOTA QUEST EM ALTAMITA DIA 30 DE ABRIL!!!

Posted by TV Cidade News on Tuesday, April 16, 2019

Notícias de Última Hora

Dono de festa com "rodízio de mulheres" por R$ 300 é preso em Goiás

Fachada do local que receberia festa com rodízio de mulheres
Imagem: Divulgação/Polícia Civil 
Um empresário foi preso na última terça-feira (5) após promover uma festa que teria "rodízio de mulheres" em Águas Lindas de Goiás, a 66 km de distância de Brasília. O evento, que foi divulgado pela internet, levou o nome de "Open Xeca", mas acabou não sendo realizado devido à operação policial. A entrada custava R$ 300 por pessoa e o limite era de 50 homens no local.


Apontado pela polícia como o organizador do evento, Ítalo Gomes Machado, de 37 anos, vai responder pelo crime de exploração sexual. Ele admitiu que era o responsável pela organização.


A festa estava marcada para começar às 23h. Porém, a Polícia Militar chegou duas horas antes. No local, já estavam o dono da casa de prostituição (que receberia o evento), a mulher dele, cinco seguranças e 12 garotas de programa. No quintal do imóvel, a polícia também encontrou 50 gramas de maconha que estavam enterradas.

O primeiro lote de ingressos da festa já estava esgotado. O panfleto estampava a seguinte mensagem: "Uma noite inesquecível para você se deliciar o quanto conseguir. Vai encarar?". A divulgação chamou a atenção da Polícia Militar, que montou uma operação com 18 policiais, equipes da fiscalização de atividade urbana da prefeitura e a Secretaria Municipal de Trânsito.

Panfleto com festa que prometia "rodízio de mulheres"
Imagem: Reprodução
"O empresário não resistiu à prisão e foi levado para a Delegacia de Águas Lindas de Goiás. Ele foi enquadrado pelo crime de exploração sexual e confessou que iria fazer o evento", disse o sargento Godoi, que participou da operação.


A casa de prostituição tinha cinco quartos. Uma das mulheres, que foi levada como testemunha para a delegacia, informou que o programa era R$ 130, sendo que R$ 30 do valor ficaria com o proprietário do local. Mas, especificamente nesta festa, as jovens receberiam R$ 300 pela participação.

Casa de prostituição que receberia festa com "rodízio de mulheres"
Imagem: Divulgação/Polícia Civil
"Isso tudo tem a tipificação criminal de rufianismo e favorecimento a prostituição. Manter uma casa de prostituição não é crime. Crime é a exploração", explicou o policial.

O caso foi encaminhado para a Delegacia de Mulheres da cidade de Águas Lindas de Goiás, que investiga o crime. 

Fonte: UOL