Notícias de Última Hora

Objetivo de Renan e do PT era transformar presidência do Senado em bunker contra o Governo, diz Onyx

Objetivo de Renan e do PT era transformar presidência do Senado em bunker contra o Governo, diz Onyx

Ernesto Rodrigues/Estadão Conteúdo
“Ele perdeu a cadeira e a caneta. Ele tem menos poder, mas não temos isso de achar que o PT e aliados vão nos dar folga nem na Câmara e nem no Senado", reconheceu Onyx.


O novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), foi tido como vitória pessoal neste fim de semana do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Somado à eleição na Casa, o ministro declarou ainda que a derrota de Renan Calheiros também fará bem ao país. Sem tomar os méritos da vitória de Alcolumbre, o ministro Onyx atribuiu a vitória à capacidade do senador de “navegar entre diversos grupos e obter apoios”.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, Onyx disse que é preciso ter clareza de que o “objetivo de Renan era, junto ao PT, fazer da Presidência do Senado um bunker, uma cidadela de resistência contra o Governo Bolsonaro”.



“Ele perdeu a cadeira e a caneta. Ele tem menos poder, mas não temos isso de achar que o PT e aliados vão nos dar folga nem na Câmara e nem no Senado (…) Imagina se Renan e PT comandassem o Senado nacional. O que seria do Governo e da esperança do povo?”, questionou o democrata.

Para Onyx, a vitória de Alcolumbre foi a “vitória da esperança”: “não dava para ter a ilusão de achar que Renan ia vencer e ficar bonzinho. Ele continuaria sendo o mesmo e organizaria ali o pagamento do apoio que recebeu pelo PT”.

Relação com Rodrigo Maia

Diante de relatos de que a relação estaria estremecida, Onyx Lorenzoni negou farpas com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. “Eu fui liderado por Rodrigo e fui líder dele. E nos principais episódios da vida PSL/DEM das últimas duas décadas nós dois participamos ativamente. No episódio das 10 Medidas [de Combate à Corrupção] ficaram pequenas dificuldades, mas nada que a longa relação não permita que possamos sentar e conversar”, esclareceu.

“Quem aposta na nossa briga vai perder”, finalizou.

Por Jovem Pan