Notícias de Última Hora

Grupo é vítima de golpe do falso emprego em Altamira


Ofertas falsas de emprego são comuns em qualquer época, mas aumentam consideravelmente, em tempos de crise econômica, afinal, o número de demissões faz muita gente procurar vagas desesperadamente. É nesse momento que pessoas mal intencionadas aproveitam para aplicar o golpe do falso emprego. Esta semana, um grupo de homens foi vítima desse crime.


Com medo de sofrer represálias, uma das vítimas preferiu não se identificar, mas conta como tudo aconteceu. “O rapaz disse que tinha vaga disponível, só que ele ia agendar pra mim de porteiro, mas eu não tinha o curso. Aí ele disse que disponibilizava o transporte até Medicilândia, mas o custo do curso era por minha conta. Aí falei que tudo bem. Aí mandou a lista de documentação, e íamos segunda fazer o curso, mas até agora nada”.

O roteiro do golpe é quase sempre o mesmo. O candidato é aprovado para a vaga, mas precisa passar por um curso antes de iniciar o trabalho. O curso é pago. A vaga não existe. Quem necessita do emprego, acaba sendo vítima desse tipo de estelionato.



Em nenhum momento a vítima teve contato direto com a dupla de criminosos, tudo ficou acertado por meio do aplicativo WhatsApp. O suspeito afirmou que o suposto nome da empresa contratante seria Mesquita Engenharia.

Até o momento sete homens foram vítimas do crime. O grupo fez o boletim de ocorrência na delegacia de Altamira. A polícia trouxe orientações que devem ser seguidas para evitar cair nesse tipo de golpe. “Primeira coisa que deve se fazer é observar que empresa é essa, qual CNPJ dessa empresa, procurar no site da receita para ver se esse CNPJ é ativo. Em regra, essa empresa tem que ter um número fixo, conferir se realmente está acontecendo essas contrações”, explicou o delegado Mhoab Lima.

O delegado ressalta ainda que geralmente os treinamentos acontecem depois das contratações, que é importante pedir nome completo de quem está conversando, pedir o CPF e até ir na delegacia para conferir se a pessoa tem ou não antecedentes criminais.


Fonte: Confirma Notícia