Notícias de Última Hora

Sindicatos ligados ao PT querem impedir Brasil de entrar na era espacial


Representados por sindicatos, quilombolas apresentaram à Organização Internacional do Trabalho (OIT) uma denúncia contra o governo Bolsonaro por “graves violações” diante dos planos de expansão da base de Alcântara.


O anúncio foi realizado em evento, nesta quinta-feira (4), que contou com a presença do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Alcântara (STTR) e do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Alcântara (SINTRAF).

As entidades pedem que a OIT pressione o Brasil a não realizar qualquer tipo de atividade de expansão do projeto espacial na base antes que a titulação de suas terras esteja concluída”.



Para os quilombolas, “quaisquer novas atividades e empreendimentos requerem um processo de consulta livre, prévia e informada, no marco da convenção 169 da OIT”.
O grupo de sindicatos afirmou:

“A recente visita do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos iniciou um novo capítulo de terror e angústia para as comunidades quilombolas de Alcântara.”

O Acordo de Salvaguardas Tecnológicas permite que os Estados Unidos e outras nações lancem satélites a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão.

O acordo foi assinado no dia 18 de março em evento na Câmara Americana de Comércio, em Washington, durante visita do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Com informações do Renova Mídia e UOL