Notícias de Última Hora

Jovem dedica a vida a cuidar do namorado após acidente: ‘Não vou desistir’


Daniela passou mais de cinco meses em hospital de São Vicente para cuidar do namorado. Hoje ela vive com ele e não perde a esperança em sua recuperação.


Às 10h30 do dia 26 de setembro de 2017, em São Vicente, no litoral de São Paulo, a vida do casal Daniela Yoko, de 26 anos, e Bruno Ramos, 23, mudou completamente. Neste dia, Bruno foi levar a namorada ao trabalho e, na volta, sofreu um acidente, ficando paraplégico e com problemas neurológicos. Desde então, Daniella se dedica completamente a cuidar do namorado.


“Nunca pensei em desistir porque eu o amo. Ele tem muita força para sobreviver e isso me faz acreditar”, diz. A história do casal começou em uma festa de rua no fim de 2016. Daniela conta que Bruno foi conversar com ela, e, desde então, eles se falaram todos os dias, começando a namorar em janeiro de 2017.


“Me apaixonei por ele desde a primeira vez que nos vimos. Na época do acidente completávamos oito meses juntos. Na hora que a mãe dele me ligou eu corri para o hospital e, ao chegar lá, a enfermeira me disse que ele teria 48 horas de vida. Eu preferi ter fé e pedir para Deus que o pior não acontecesse. Ele sobreviveu”, relembra a jovem.


Mesmo sobrevivendo Bruno ficou em coma por 14 dias e os médicos alertaram a namorada de que ele não voltaria a andar. “Quando acordou, ele parecia estar em estado vegetativo, não conseguia se comunicar. Devido ao traumatismo craniano ele teve sérios problemas”, relembra.


O neurocirurgião e especialista em neurotraumatologia João Luis Cabral, de 46 anos, explica que o politraumatismo, como o próprio nome sugere, ocasiona diversos traumas em diferentes partes do corpo, como crânio, coluna, tórax e abdômen. Segundo o médico, o Traumatismo Crânio Encefálico (TCE) é muito complexo e varia em cada caso, de acordo com a gravidade.