Notícias de Última Hora

Karl Max é preso após deixar a faculdade para vender drogas na Zona Sul do Rio: ‘Apesar do nome, sou capitalista’

Karl Max e parte do farto material apreendido
Um jovem de 23 anos, morador no Flamengo, na Zona Sul do Rio, foi preso no início da tarde desta terça-feira por agentes da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), após 30 dias de investigações. De acordo com a polícia, Karl Max Azevedo Wiborg é ex-estudante de pedagogia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas trancou o curso para dedicar-se à importação e venda de anabolizantes, termogênicos, comprimidos para impotência sexual e drogas como o LSD.

Karl Max esconde o resto enquanto é acompanhado pelos agentes em apartamento no Flamengo
O rapaz foi localizado em um apartamento no Rocha, Zona Norte do Rio, que utilizava para guardar os entorpecentes e outras substâncias proibidas. Vestindo camisa da Nike, Karl Max justificou-se aos agentes: “Apesar do nome, sou capitalista” — na verdade, a grafia do nome do filosófo alemão considerado o pai do comunismo é Karl Marx. Com o jovem, havia cerca de R$ 60 mil só em suplementos.



Em seguida, os policiais seguiram com o suspeito para a Rua Senador Vergueiro, no Flamengo, onde mais material ilegal foi apreendido em sua casa, além de comprovantes de depósitos de altos valores. Filho de arquitetos, o traficante faz parte de uma família de classe média e repassava as drogas por academias da Zona Sul da cidade.

Karl Max Azevedo Wiborg, de 23 anos
Ainda segundo a Polícia Civil, a mãe do rapaz ficou em choque com a prisão. Ela contou aos agentes que o filho dizia atuar como microempresário no setor de suplementos alimentares. Karl Max será autuado por tráfico de drogas e crimes contra a saúde pública, cujas penas podem chegar a até 15 anos de reclusão.


— Que os pais fiquem atentos à prosperidade financeira sem explicação dos jovens. Normalmente, é sinônimo de atividades ilícitas cujas consequências são gravíssimas. Lamento que um jovem com todas as oportunidades jogue sua vida fora traficando drogas — disse o delegado Antenor Lopes, titular da Dcod.

Fonte: Jornal Extra