Notícias de Última Hora

Sergio Moro inaugura Centro Integrado de Inteligência Nacional

Na próxima semana, Moro deve inaugurar em Curitiba o centro de inteligência da Região Sul; intenção do governo é ter um centro em cada região

Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
O Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública Nacional (CIISPN), que vai integrar uma base de dados de ações de segurança com os órgãos de inteligência dos estados, foi inaugurado nesta sexta-feira, 3, pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. A ideia, segundo ele, é fortalecer a troca de informações entre as polícias.


“A integração é tudo em matéria de segurança pública. Estamos insistindo muito nessa política. Às vezes a polícia de um estado não se comunica com a de outro estado ou com a Polícia Federal. E uma das principais ideias aqui é fortalecer essa troca de informações”, disse Moro.


De acordo com o ministro, o centro é estratégico para o combate a organizações criminosas. A unidade de inteligência é composta por agentes das polícias civis e militares, órgãos federais e outras instituições especializadas no combate às organizações criminosas, como o Ministério Público e o Poder Judiciário.

Esse é o segundo centro integrado de inteligência. O primeiro, voltado para a Região Nordeste, foi inaugurado no ano passado, em Fortaleza (CE), pelo então ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

Na próxima semana, Moro inaugura, em Curitiba (PR), o centro da Região Sul. A intenção do governo é que exista um centro em cada uma das regiões do país.

Entre os objetivos dos centros estão a integração entre os agentes de segurança pública para produção de conhecimentos estratégicos e o acesso integrado dos conteúdos das bases de dados das diversas instituições e órgãos que compõem a estrutura de segurança pública.



Coaf

Moro reafirmou que não há nenhum movimento dentro do governo para retornar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Ministério da Economia.

“Não existe nenhuma área do governo defendendo o retorno”, disse o ministro. “Achamos que o Coaf fica melhor aqui e não tem nenhum movimento dentro do governo [para mudar]. Vocês podem perguntar ao ministro Paulo Guedes que ele vai dizer que não tem nenhum interesse no conselho”.

Moro disse que a discussão em relação ao Coaf, travado no Congresso Nacional, resulta de incompreensão sobre a atuação do conselho na Justiça.

“É importante o Coaf estar aqui na Justiça e Segurança Pública porque ele tem informações essenciais em matéria de lavagem de dinheiro e que nos serão extremamente úteis para combater principalmente as organizações criminosas. Se você não tem o rastro do dinheiro fica muito difícil combater essas grandes organizações criminosas”, disse.


Com Agência Brasil