Notícias de Última Hora

Hacker da Lava Jato invade grupo privado de procuradores


Um hacker invadiu o grupo privado de membros do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) no aplicativo de mensagens Telegram.


O celular do procurador militar Marcelo Weitzel, membro do CNMP, foi aparentemente invadido na noite desta terça-feira (11).

O número dele foi usado para enviar uma mensagem ao grupo privado. Um dos posts dizia que o caso revelado no domingo (9) pelo site The Intercept, envolvendo o ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador da República, Deltan Dallagnol, era apenas “uma amostra do que vocês vão ver na semana que vem”.



As mensagens foram disparadas do celular do conselheiro Weitzel, por volta das 23h. Os colegas estranharam o tom dos torpedos e começaram a questionar o conselheiro no grupo.

Na sequência, receberam outra mensagem dizendo:

“Hacker aqui. Adiantando alguns assuntos que vocês terão de lidar na semana, nada contra vocês que estão aqui, mas ninguém melhor que eu para ter acesso a tudo né.”

Os membros do grupo então ligaram para Weitzel, que argumentou que não estaria usando o aparelho no momento dos envios das mensagens.

O procurador regional José Robalinho Cavalcanti também alegou ter trocado mensagens nesta terça com a mesma pessoa utilizando o perfil do colega Weitzel.



Durante a conversa privada, após fracassar em conseguir declarações polêmicas sobre a Lava Jato, o invasor disse ser o hacker que, nas últimas semanas, vem atacando os membros da Operação Lava Jato.

Fonte: Renova Mídia