Notícias de Última Hora

Hipócritas! Senadores contrários ao decreto de armas podem ter escolta armada

Quatro parlamentares relataram à presidência do Senado que foram ameaçados por se posicionarem contra mudanças instauradas pelo presidente Jair Bolsonaro


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), determinou que a Polícia Legislativa investigue as ameaças relatadas por senadores contrários ao decreto que flexibilizou o porte de armas no País. Além disso, Alcolumbre disponibilizou escolta policial para parlamentares alvos dos ataques. “O Senado vai dar todas as garantias para os senadores cumprirem seu mandato, então o que for deliberado para a presidência que a gente tiver clareza que é uma ameaça, nós vamos autorizar (escolta)”, disse Alcolumbre.


O projeto que anula os efeitos do decreto do presidente Jair Bolsonaro foi votado no plenário do Senado desta terça-feira, 18.


Quatro senadores relataram à presidência do Senado terem sido alvos de ataques: Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (Rede-ES), Eduardo Girão (Pode-CE) e Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB). Após o relato dos ataques, o presidente do Senado emitiu uma nota expressando “indignação” e prometendo providências para garantir a proteção e a liberdade dos parlamentares.

Por Gleyson Araujo com informações do Estadão Conteúdo