Notícias de Última Hora

“Pode ser mais grave que simples venda de mandato” afirma Deputado sobre Jean Wyllys


O Deputado Federal José Medeiros pediu investigação sobre a possível venda de mandato de Jean Wyllys para David Miranda, companheiro do jornalista americano Glenn Greenwald, que faz ataques à Operação Lava Jato e defende a liberdade do chefe da quadrilha criminosa que assaltou o país, Lula.

Segundo o deputado, o caso pode ser mais grave que a venda de mandato.


Segundo reportagem do site O Antagonista. Jean Wyllys e Glenn Greenwald tem um histórico de disputa interna no PSOL e já entraram em colisão há pouco tempo atrás publicamente.


Confira:

Embora se alinhe agora ao ataque sórdido à Lava Jato, Jean entrou em rota de colisão com o mesmo Glenn há pouco mais de um ano, ao tentar aproximar o PSOL de Israel. O americano, que é judeu, atacou publicamente o então deputado federal, acusando-o de adotar “comportamento manipulador e destrutivo”.

E ameaçou expor Jean nas páginas do seu site: “Quem tem (sic) mais infos sobre isso, manda DM, pois estamos investigando e vamos reportar tudo”.

“Existe um pequeno grupo no PSOL (liderado por Jean) que quer torná-lo um partido pró-Israel – o que faria dele um caso único entre os partidos de esquerda do mundo democrático. Por ora: @jeanwyllys_real deve parar de explorar a grave acusação de antissemitismo (e homofobia) contra críticos de Israel dentro do PSOL”, escreveu o americano.

Jean Wyllys, por sua vez, acusou o site de Glenn (The Intercept) de publicar matéria com “conteúdo mentiroso”, citando “falsas declarações” de sua assessoria, “que ele não quis ouvir antes de publicar” – padrão semelhante ao usado agora contra Moro.

“Eu sempre tratei @ggreenwald com respeito, apesar de ele não fazer o mesmo comigo. Aliás, ainda lembro a charge que o site dele publicou quando visitei Israel e Palestina, na qual eu apareço com a estrela de Davi nos óculos. Não foi antissemitismo, sei… Também lembro o conteúdo mentiroso da matéria que acompanhava essa charge.”

No embate, que também revela um Glenn mais político que jornalista, David Miranda endossou as críticas do marido ao parlamentar e, nas eleições, conquistou a primeira suplência do PSOL. Em janeiro, Wyllys, reeleito deputado federal, abriu mão do mandato sob a alegação de que teria sido ameaçado. Quem assumiu seu posto foi justamente Miranda.

Fonte: República de Curitiba