SBT BRASIL NOVO - ENTREVISTAS - SOLIMAR MACHADO NOVO SEC DA SEMMA

ENTREVISTA DE SOLIMAR MACHADO SEC. DA SEMMA Assista no YouTube: https://youtu.be/QUaizCWwpKc

Posted by TV Cidade News on Friday, August 23, 2019

Notícias de Última Hora

Bilhete aéreo vai ficar mais barato, afirma ministro

Tarcísio de Freitas diz que preço vai cair a partir de setembro com entrada das low cost

Antes de trabalhar com Bolsonaro, Tarcísio passou por governos Dilma e Temer Foto: ADRIANO MACHADO/REUTERS
A entrada de companhias aéreas estrangeiras de baixo custo (low cost) no mercado brasileiro deve reduzir o preço das passagens a partir de setembro. A previsão é do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para quem a maior oferta de voos “naturalmente terá efeito” sobre o preço dos bilhetes.


Esse movimento, disse ele, deve ser percebido a partir de setembro e se soma à chegada de novas aeronaves para empresas que já atuam no País, como Latam e Gol.


O ministro disse que entre três e quatro empresas low cost estão em conversas com o governo. “Temos empresas se estabelecendo no Brasil, com autorização na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), mas até serem operacionais há um caminho que deve levar entre seis e oito meses.”

Dona da Air Europa, a espanhola Globalia deve começar a voar no País no segundo semestre de 2020. Sobre as outras empresas low cost, ele disse que a perspectiva é de que, inicialmente, operem voos internacionais para depois entrarem também em rotas domésticas.


Já pediram registro para atuar no Brasil a argentina Flybondi, a chilena Skyline e a norueguesa Norwegian.

Avianca


Freitas minimizou a recuperação judicial da Avianca. Para ele, com liberdade de preços e rotas, empresas quebram em todo o mundo, mas são substituídas por outras. Segundo ele, a distribuição de slots (horários de pousos e decolagens) da Avianca está sendo tratada pela Anac, que quer rever as regras em vigor para favorecer a competição e a entrada de novas companhias em aeroportos disputados como Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro.



Com a abertura do mercado para aéreas internacionais, o ministro disse que um dos obstáculos para a atuação das empresas aéreas low cost foi vencido. Para Freitas, porém, ainda é preciso adotar medidas para desregulamentar o setor e políticas que resultem na redução do preço do querosene, um dos maiores custos das aéreas.

Freitas afirmou que a redução do ICMS sobre o combustível, adotada por governos estaduais, estimula o abastecimento nos locais e pode vir com contrapartidas, como disponibilidade de mais voos e possibilidade de stop over – abrir a passagem para uma parada de alguns dias na cidade de conexão, sem custo adicional. Reiterou que o governo pretende conceder os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont na última rodada de concessões, em 2022.

Segundo ele, é uma sinalização para que investidores estrangeiros se posicionem no Brasil. “Deixamos o filé para a última rodada.”

Por Anne Warth, O Estado de S.Paulo