Notícias de Última Hora

Ex-ministros esquerdistas da Cultura apresentam manifesto contra extinção da pasta por Bolsonaro

Presidente extinguiu a pasta e a incorporou à área da Cidadania, comandada hoje pelo ex-deputado Osmar Terra

Reprodução / Twitter
Cinco ex-ministros da Cultura dos governos Michel Temer, Dilma Rousseff, Lula, Fernando Henrique Cardoso e Itamar Franco apresentaram, nesta terça (2), um manifesto contra o fim da pasta no governo Jair Bolsonaro.


A reunião, acontecida no Institutos de Estudos Avançados da USP, em São Paulo, reuniu os ex-ocupantes do ministério Marcelo Calero, Marta Suplicy, Juca Ferreira, Francisco Weffort e Luiz Roberto Nascimento Silva.

“As universidades estão sendo vítimas da mesma intolerância, da mesma falta de compreensão e mesma da falta de inteligência que a área cultural, do lado de fora, está vivendo”, disse Juca Ferreira, que passou pelo cargo na gestão Lula. “Tivemos nossos embates democráticos, isso é natural, mas hoje aqui predominou a sinergia e a preocupação com o clima de demonização que esta área está passando”.



Marta Suplicy, que chefiou a pasta no primeiro governo Dilma, entre 2012 e 2014, também criticou a extinção do MinC. “É um retrocesso gigantesco. Temos conquistas extremamente importantes com eles e não dá pra construir o futuro sem ter a solidez do passado”, apontou.

Esta é a quarta vez que ex-ministros de governos variados se reúnem para criticar a atual gestão. Meio Ambiente, Educação e Ciência e Tecnologia já foram tema de encontros do tipo.

O ministério da Cultura foi criado ainda no governo Sarney, em 1985. Assim que assumiu, Bolsonaro extinguiu a pasta e a incorporou à área da Cidadania, comandada hoje pelo ex-deputado Osmar Terra.


Com informações da Jovem Pan