FLÁVIO E EDUARDO BOLSONARO NO PROGRAMA SILVIO SANTOS (14-07-19)

FLÁVIO E EDUARDO BOLSONARO NO PROGRAMA SILVIO SANTOS (14-07-19)

Posted by TV Cidade News on Sunday, July 14, 2019

Notícias de Última Hora

Governo Helder Barbalho em apoio ao casamento homoafetivo no Pará

Casamento homoafetivo reforça compromisso do Estado em garantir cidadania a todos, diz o governo

Cerimônia reuniu onze casais para oficializar, juridicamente, a relação estável ou renovar votos | Divulgação
Vestida de "noiva cadáver", Adriana Lopes, 37, escolheu transmitir uma mensagem na hora de se unir legalmente ao seu parceiro de 18 anos de convivência. "Homenageio os lgbts que foram vítimas de crimes de ódio, trago o nome deles e a bandeira do amor. Escolhemos fazer isso de forma conjunta, justamente por vivermos um momento de retrocesso, em que o fascismo toma conta", protestou.

Vestida de 'noiva cadáver', Adriana quis transmitir uma mensagem durante o casamento: "Homenageio as vítimas de crime de ódio"Foto: Ricardo Amanajás / Ag. Pará
A 5ª edição do Casamento Comunitário Homoafetivo, realizado na sexta (5,) no auditório do Instituto de Ciências Jurídicas da Universidade Federal do Para (ICJ-UFPA), com onze casais de homens e mulheres gays, lésbicas, bissexuais e transexuais, puderam oficializar, juridicamente, a relação estável, ou apenas fazer a renovação dos votos.


O secretário adjunto da pasta de Direitos Humanos, Rodrigo Roldan fez questão de enfatizar que o papel da Sejudh é de inteira responsabilidade quando o assunto é toda e qualquer temática relacionada à vulnerabilidade social. "Estamos aqui no intuito de articular e unificar a sociedade, valorizar o amor e a igualdade. Além do direito afetivo, os casais garantem o direito à herança, ao plano de saúde conjunto, à pensão por morte. É uma demanda que eles mesmos nos solicitam", explicou.


O ato ocorreu por conta de uma parceria entre a Organização da Livre Identidade e Orientação Sexual do Pará (Olivia) e governo do Estado, por meio do Conselho Estadual da Diversidade Sexual, da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), e da Defensoria Pública do Pará. Os nubentes não tiveram qualquer gasto com as tramitações jurídicas, e ainda ganharam um coquetel oferecido pela Sejudh, que também custeou todos os valores cartorários.

Foto: Ricardo Amanajás / Ag. Pará
Apoio

O gerente de Proteção à Livre Orientação Sexual da Secretaria, Rafael Ventmiglia, reforça a importância da cerimônia ocorrer logo após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de criminalizar a lgbtfobia. "O governo do Estado mostra que está preocupado em garantir o acesso dessa população à cidadania e aos direitos humanos, e segue compilando dados que podem ser trabalhados para a criação de ações estratégicas de combate à violência", relaciona.


As parcerias com o governo do Estado e outras frentes são vistas como uma luz no fim do túnel segundo o presidente da Olivia. Ele lamentou ter precisado recorrer, durante os preparativos para o casamento, à Delegacia de Crimes Discriminatórios e Homofóbicos para denunciar manifestações de ódio nas redes sociais da ONG nas postagens relacionadas ao evento.

"Mas os casais estão aqui, felizes, alguns mesmo sem as famílias, que não os aceitam, e esse é o nosso pagamento: proporcionar isso. É a ratificação dos direitos humanos de todos nós e os parceiros que nos apoiam são essenciais à luta", reforçou.

Com informações da Agência Pará