Notícias de Última Hora

Ibovespa bate novo recorde histórico com avanço da Nova Previdência

FOTO: Reinaldo Canato
O Ibovespa avançou mais de 1,5% nesta quinta-feira (4), fechando o dia em nova máxima histórica, após aprovação do texto da Previdência na comissão especial, ampliando a chance de a matéria ser votada no plenário da Câmara dos Deputados antes do recesso parlamentar.


Na sessão, o índice subiu 1,56%, a 103.636,17 pontos. O giro financeiro da sessão somou R$ 13,53 bilhões.


O avanço do Ibovespa foi guiado pelo avanço da Previdência na Câmara. O texto ainda poderá ser modificado na comissão, uma vez que os deputados vão apreciar destaques — pedidos de parlamentares para modificar pontos específicos do parecer.

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), disse esperar que o apoio recebido à matéria no colegiado se reflita também no plenário.

O governo tem a expectativa de que a proposta seja votada em dois turnos no plenário da Câmara dos Deputados já na próxima semana, disse o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.


“O movimento geral, obviamente, é o avanço da Previdência”, disse Rodrigo Zauner, sócio da SVN Investimentos. “Agora começaram a surgir sinais mais claros da aprovação.”

Nos EUA, as bolsas não funcionaram em razão do feriado do Dia da Independência.


Destaques

VIA VAREJO valorizou-se 5,23%, dando sequência à valorização recente, com expectativas relacionadas à mudança no comando da rede de móveis e eletrodomésticos.

Entre as aéres, AZUL subiu 5,87% e GOL avançou 7,31% apoiadas na queda do dólar ante o real, além de expectativas de potenciais benefícios para as companhias com a situação da Avianca Brasil, em recuperação judicial.

Nos bancos, os destaques ficaram por conta de BRADESCO PN, que avançou 2,17%, e ITAÚ UNIBANCO PN, valorizando-se 1,15%.



PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiram 0,96% e 1,31%, respectivamente.

VALE, por suz vez, ganhou 0,74%, mesmo com os futuros do minério de ferro na China caindo fortemente nesta quinta-feira, quebrando uma série de cinco dias de alta.


Com informações, Agência Reuters