SBT BRASIL NOVO - ENTREVISTAS - SOLIMAR MACHADO NOVO SEC DA SEMMA

ENTREVISTA DE SOLIMAR MACHADO SEC. DA SEMMA Assista no YouTube: https://youtu.be/QUaizCWwpKc

Posted by TV Cidade News on Friday, August 23, 2019

Notícias de Última Hora

Barroso diz que maioria dos supostos diálogos não passa de ‘fofoca’

Barroso disse que, apesar de todo o "estardalhaço que está sendo feito, nada encobre que a Petrobras foi devastada pela corrupção”

Fellipe Sampaio/SCO/STF
O ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso, disse nesta sexta-feira (2) que “é difícil entender a euforia de muitos setores da sociedade diante dessa fofocada produzida por criminosos.”


Ele se referia aos vazamentos de supostas mensagens atribuídas a autoridades, como o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores da Lava Jato do Paraná.

Em um evento em São José dos Campos, no interior de São Paulo, Barroso disse que, apesar de todo o “estardalhaço que está sendo feito, nada encobre que a Petrobras foi devastada pela corrupção.”

O ministro também disse que houve “corrupção sistêmica, estrutural e institucionalizada” no Brasil.

Ainda na sexta-feira, o juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal em Brasília, determinou que a Polícia Federal encaminhe ao ministro do STF Alexandre de Moraes uma cópia da investigação sobre os ataques feitos pelos hackers.

Na quinta-feira (1), o magistrado pediu acesso aos supostos diálogos vazados do celular de autoridades dentro de um inquérito do próprio Supremo que apura supostas ofensas à corte.



Nesta sexta-feira, no Plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo, a deputada estadual Janaína Paschoal, do PSL, criticou o inquérito em andamento no STF.

“O que eu estou dizendo, sem medo de errar, é que nenhuma autoridade pode usar o seu poder para se blindar. E, infelizmente, é isso que está acontecendo no centro do Supremo Tribunal Federal.”

A deputada é coautora de um pedido de impeachment contra o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, que foi protocolado na última terça-feira (30).

Em relação aos supostos diálogos vazados, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, negou nesta sexta-feira que sofra pressão para afastar o coordenador da Lava Jato do Paraná, Deltan Dallagnol.


Dodge rebateu o jornal Folha de São Paulo que noticiou que ela teria convocado uma reunião de emergência para discutir o afastamento.

Em nota, ela afirmou que “não convocou, nem fez reunião com o propósito de afastar o procurador Deltan Dallagnol de seu ofício ou da Lava Jato.”


Com informações do repórter Afonso Marangoni