SBT BRASIL NOVO - ENTREVISTAS - SOLIMAR MACHADO NOVO SEC DA SEMMA

ENTREVISTA DE SOLIMAR MACHADO SEC. DA SEMMA Assista no YouTube: https://youtu.be/QUaizCWwpKc

Posted by TV Cidade News on Friday, August 23, 2019

Notícias de Última Hora

BNDES anuncia devolução de mais R$ 40 bilhões ao Tesouro

"Com esse pré-pagamento, o BNDES já terá devolvido à União, neste ano, R$ 84 bilhões, o que corresponde a cerca de 67% da meta de R$ 126 bilhões", disse o banco em nota

A posse de Gustavo Montezano no BNDES. Amigo dos filhos do presidente da República, o novo gestor do banco de desenvolvimento assumiu no lugar de Joaquim Levy, que pediu demissão depois de Bolsonaro afirmar que ele estava com a “cabeça a prêmio”. Foto: Marcos Corrêa / PR
O BNDES antecipará o pagamento de mais R$ 40 bilhões ao Tesouro, anunciou nesta sexta-feira o banco, elevando para R$ 84 bilhões o volume já devolvido à União este ano. Com a nova antecipação, faltarão R$ 42 bilhões para que o BNDES cumpra a meta estipulada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e buscada pelo novo presidente do banco, Gustavo Montezano.


"Com esse pré-pagamento, o BNDES já terá devolvido à União, neste ano, R$ 84 bilhões, o que corresponde a cerca de 67% da meta de R$ 126 bilhões", disse o banco em nota. "Essa nova antecipação está alinhada à meta de aceleração das devoluções ao Tesouro Nacional anunciada pelo presidente da instituição, Gustavo Montezano."

A antecipação havia sido decidida pela diretoria do banco na quarta-feira e foi aprovada pelo conselho de administração do banco nesta sexta. Segundo o banco, com esse pré-pagamento, o BNDES já terá antecipado a devolução de cerca de R$ 380 bilhões de dívidas com a União desde dezembro de 2015.

Como determinou o Tribunal de Contas da União (TCU), os pagamentos antecipados pelo BNDES devem ser usados exclusivamente para abater a dívida pública federal.

O BNDES está devolvendo, com juros, os R$ 416 bilhões tomados emprestados junto ao Tesouro entre 2008 e 2014. Os recursos foram usados em ações de estímulo econômico após a crise financeira global. Em 2018, o BNDES devolveu R$ 130 bilhões. O plano oficial era que o BNDES restituísse cerca de R$ 25 bilhões anualmente ao Tesouro daqui para frente, mas, desde que assumiu a Economia, Guedes vem pressionando por uma aceleração desse ritmo.



Novos diretores

Suposta lentidão nas devoluções foi apontada como um dos motivos que prejudicaram a avaliação do trabalho de Joaquim Levy pelo governo, forçando o economista a pedir demissão. Seu sucessor, Gustavo Montezano, assumiu no mês passado e elencou como uma de suas cinco metas a devolução de R$ 126 bilhões ao Tesouro este ano.

Nesta sexta, o conselho do BNDES também aprovou a indicação de quatro diretores da nova gestão. Fábio Abrahão (Infraestrutura), Petrônio Cançado (Crédito e Garantia), Saulo Puttini (Assuntos Jurídicos) e Leonardo Cabral (Privatizações). Abrahão e Cançado já vinham participando de reuniões no BNDES nas últimas semanas.

Com informações do O Globo