Notícias de Última Hora

Casal de lésbicas assassina bebê de seis meses nos EUA

“Queima-o até que fique em ossos”. Hanna Barker, a mãe que ordenou à namorada que matasse o filho de seis meses


Hanna Nicole Barker, de 23 anos, chamou a polícia em 17 de julho do ano passado alegando que “dois homens desconhecidos tinham invadido” sua residência e que durante o pânico teria fugido deixando o filho de seis meses em casa porque “estavam atrás dela.

Segundo a primeira história contada pela mãe, o pequeno Levi Cole Ellerbe teria sido raptado pelos ladrões. As autoridades foram acionadas: Polícia Estadual de Louisiana e o Departamento de Polícia de Natchitoches entraram em ação na busca pelo pequenino.

Em outra versão ela afirmou que os ladrões teriam jogado spray de pimenta em seus olhos e levado o pequeno Levi.

Curte nossa página no Facebook e fique informado!

Aproximadamente às 22h20 do mesmo dia, as autoridades encontraram o bebê com queimaduras gravíssimas perto de uma estação de comboios. Ele foi levado as pressas para o hospital mais próximo da região e em seguida transferido por transporte aéreo para a unidade de saúde universitária de Shreveport. Infelizmente a vítima de seis meses não resistiu aos ferimentos e faleceu: Levi teve 90% do corpo queimado.

Segundo o site The Town Talk, as autoridades de Louisiana descobriram que o pequenino foi assassinado pela namorada da mãe, Felicia Marie-Nicole Smith, de 25 anos.

As duas foram acusadas de homicídio: durante a primeira análise do local do crime, a residência da mãe e do bebê, a polícia concluiu que o assalto não passou de uma encenação. A janela dos fundos havia sido “partida mas não completamente
. Sangue e impressões digitais foram encontrados na mesma janela e, apesar da mãe afirmar que fora atacada com um bastão, nenhuma arma havia no local.

Durante o interrogatório Baker tinha resposta para tudo, mas mudou a versão das histórias contadas e culpou Billy Ellerbe, o ex-companheiro, pela morte do bebê.

Billy contou a “relação íntima e sexual” que Baker matinha com Felicia e afirmou que a ex-companheira se aproveitava da namorada “para ter dinheiro e atenção
.

O relacionamento foi confirmado pelo supervisor Jeremy Swisher: “os planos para o assassinato começaram quando Barker disse a Smith que, se esta a amasse, faria tudo por ela até mesmo ir para a cadeia
, pedindo à Felicia em seguida, que matasse Levi.

Inicialmente a namorada teria recusado a assassinar o bebê, mas acabou mudando de ideia e iniciou o assassinato tentando balear Levi. A arma travou e de acordo com Swisher, a mãe ordenou: “Queima-o até que fique em ossos
, explicando que deveriam se “livrar das provas do crime.

Para realizar a monstruosidade contra o indefeso, recorreram a gasolina.

Quanto ao motivo do crime, a única justificava possível parece ser o fato da homicida considerar a tarefa de mãe solteira uma tarefa “demasiado difícil
.

O advogado de defesa acredita que a cúmplice tinha um motivo para assinar o bebê: estaria “transtornada” pelo fim do relacionamento.

O supervisor também esclareceu que muitas entrevistas foram realizadas e todas descreveram a mãe como mentirosa compulsiva e que algumas inclusive confirmaram que não ficariam surpresas se soubessem do envolvimento de Baker no crime.

Hanna admitiu que foi sua namorada Felicia quem queimou o pequeno e quem deu a ordem para isso foi ela.

Ambas estão presas e serão julgadas.

O processo de Hanna deve começar dia 23 de agosto. O julgamento das duas está agendado para o início do próximo ano. A jovem mãe e a ex-companheira serão condenadas à pena de morte caso sejam consideradas culpadas.


A notícia foi publicada pelo site português Sapo