Notícias de Última Hora

Das "trevas" para a "luz". Prefeito de Brasil Novo deixa o PT e entra no PSC

Após 30 anos no PT, Alexandre Lunelli anuncia entrada no PSC do Senador Zequinha Martinho


Alexandre Lunelli, atual prefeito do município de Brasil Novo, no sudoeste do Pará, decidiu sair do PT (Partido dos Trabalhadores), ao qual era filiado há 39 anos, e entrar no PSC (Partido Social Cristão), onde segundo ele, pretende auxiliar a construção do partido no município, inclusive com a criação de um Diretório Municipal. O anúncio da decisão aconteceu durante um jantar com o Senador Zequinha Marinho, que é também Presidente Estadual do Partido.

A parceria entre o Prefeito e o Senador Zequinha foi abençoada pelo pastor Manasses Ferreira e acompanhada pelo pastor Joel Mendes, vice-prefeito de Altamira.

Foto: Luiz Henrique Silveira
O Senador disse que a entrada do Prefeito está dentro da Proposta de construção Partidária. “Nossa expectativa é que agora você faça o PSC acontecer aqui em Brasil Novo. afirmou.

Propostas do Partido para o Estado

O Senador também anunciou um plano audacioso de começar a impulsionar o desenvolvimento do Estado, destravando um dos maiores problemas, que é a falta de titulação de Terra. O PSC tem uma leitura simples, sem rodeio, para começar a resolver o problema das terras sem documento. Vamos listar todos os protocolos de quem deu entrada para titular as terras e aqueles que nunca requereram e começar a buscar solução de cada um”, explicou.

Foto: Luiz Henrique Silveira
De acordo com o Senador, a titulação de terras no Estado pode atrair investimentos que estão emperrados porque não conseguem tirar uma licença ambiental. “Se liberar 100 projetos destes que estão aguardando liberação, traremos para o Estado mais de 5 milhões de renda e oportunidade de emprego”, destacou.

FPM de Brasil Novo

O Prefeito também falou das dificuldades atuais de Brasil Novo com o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) que é muito baixo, por causa do problema da contagem da população segundo o IBGE, onde acaba afetando principalmente no setor da Saúde, com a falta de recursos para o custeio. “Hoje o hospital está aberto e a Saúde sobrevive por causa das emendas parlamentares”, ressaltou Alexandre.

Foto: Luiz Henrique Silveira

Na área da educação o grande gargalo é o repasse para o transporte escolar que é insuficiente para custear as despesas e o Município tem que complementar. “São 2.400 Km de estradas vicinais, tem transporte escolar que percorre mais de 80 Km por dia”, relatou. A janta ocorreu nesta quinta-feira (01/7), em Brasil Novo, no bairro Cidade Nova.

Por Gleyson Araujo com informações da ASCOM/PMBN