Notícias de Última Hora

Estado do Tapajós fará Pará perder R$ 9 bilhões de receita por ano

Santarém seria a capital do estado do Tapajós - Crédito: Reprodução / Blog Cidade Sem Fotos
A criação do estado do Tapajós é viável em termos econômicos, segundo explica o economista e consultor Nélio Bordalo. Porém, a divisão do território para criar o novo estado faria o Pará perder cerca de R$ 9 bilhões do seu Produto |Interno Bruto (PIB) por ano.

Curte nossa página no Facebook e fique informado!

A nova proposta de realização de novo plebiscito para ouvir a população do Pará para criação do estado do Tapajós foi apresentada no Senado Federal pelo senador Siqueira Campos (DEM-TO) e assinada por 27 senadores – entre eles os paraenses Zequinha Marinho (PSC) e Paulo Rocha (PT) .

Em 2011, a população paraense rechaçou a divisão do seu território para criação dos estados do Tapajós (oeste) e do Carajás (sul e sudeste). O plebiscito foi realizado dia 11 de dezembro daquele ano. Se for aprovado, o estado do Tapajós terá como capital a cidade de Santarém.

De acordo com o economista paraense, os 23 municípios que formariam o estado do Tapajós produzem R$ 9 bilhões por ano em atividades, como pecuária, mineração e madeira e agricultura.

Além disso, ainda é preciso fazer o levantamento da previsão de gastos com a estrutura de um novo governo, que segundo Nélio Bordalo, seria em torno de R$ 800 milhões para o novo estado funcionar, comportando secretarias e outros órgãos da administração estadual.

No entanto, o economista assegura que mesmo assim o estado do Tapajós é viável economicamente falando.



O atual PIB do Pará é de 35 bilhões anuais e com o desmembramento de 23 municípios a perda de R$ 9 bilhões, explica Nélio Bordalo, numa análise rápida seria uma perda relativamente pequena.

Em 2011, o projeto seriam dois estados, formados a partir da divisão do Pará e a perda seria muito maior no aspecto econômico, acentua o economista. Porém, ele admite que é preciso avançar nos estudos e saber se essa viabilidade é, de fato, possível com a criação do estado do Tapajós.

Com informações do Portal Roma News