DESTAQUE I

EVENTOS - DIA DAS CRIANÇAS NA PRAIA NASCENTE DO SOL - VICINAL 13

DIA DAS CRIANÇAS NA PRAIA NASCENTE DO SOL - VICINAL 13 Assista também no YouTube: https://youtu.be/eN8n1AFFsDY

Posted by TV Cidade News on Sunday, October 13, 2019

Notícias de Última Hora

PF investiga youtuber que pediu assassinato de Bolsonaro

Youtuber ligado ao PDT pode ser enquadrado na lei de segurança nacional por ameaçar o presidente Bolsonaro


O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, pediu, nesta terça-feira (6), à Polícia Federal (PF) a abertura de inquérito contra o youtuber conhecido como Vina Guerrero.

A PF deve apurar a prática de crimes de ameaça, incitação à violência e contra a honra do presidente da República, Jair Bolsonaro. Moro pediu ainda que a polícia verifique se há possibilidade de enquadrar as condutas do youtuber na Lei de Segurança Nacional.

Curte nossa página no Facebook e fique informado!

Em vídeo de 12 minutos, que foi publicado no dia 30 de julho, Vina Guerrero, que é presidente do Movimento Comunitário Trabalhista do PDT de São Paulo, disse que o presidente e os demais políticos da sua família devem ser assassinados.

“Não tem mais condição de aceitar um bosta como Bolsonaro no poder. Esse cara tem que ser assassinado, ele e família, menos a filha que não é política, [mas sim] os políticos da família Bolsonaro pra resumir, os quatro… os três filho bosta [sic] e o próprio pai”, declarou o militante.

“Foda-se, me prende… você tem que morrer Bolsonaro, você é um câncer na sociedade”, acrescentou ele.


(Confira o vídeo completo)

Abaixo a nota do Ministério da Justiça e Segurança Pública:


“O Ministério da Justiça e Segurança Pública requisitou à Polícia Federal, em 06/08/2019, a abertura de inquérito policial para a apuração de graves crimes de ameaça, incitação à violência e contra a honra praticados contra o Sr. Presidente da República, Jair Bolsonaro, por pessoa identificada como ‘Vina Guerrero’, e que foram efetuados por meio de vídeo divulgado no Youtube. Foi ainda solicitada, em vista da gravidade das ameaças e da incitação à violência, a verificação de eventual enquadramento das condutas na Lei de Segurança Nacional.”

Com informações da agência EBC