Notícias de Última Hora

‘Veleiro solar’ pode dar novo rumo às viagens espaciais

Nós estamos a um passo de reviver a era das grandes navegações. E novamente com ajuda do Sol


Em 25 de junho deste ano, a Sociedade Planetária, uma entidade sem fins lucrativos fundada por Carl Sagan, entre outros, lançou seu terceiro protótipo de um veleiro solar.


No ano de 2005, a sociedade lançou o Cosmos 1, ou pelo menos tentou, uma vez que o foguete que o carregava explodiu em voo.

Dez anos depois, em 2015, foi lançado o LightSail 1 e nessa oportunidade o veleiro conseguiu alcançar a órbita terrestre.



O satélite veio provar que o conceito de veleiro solar é, de fato, viável. Como a luz carrega momento linear, ao se chocar com uma superfície, ela transfere esse momento e pode colocar a superfície em movimento.

A missão do LightSail 1 era tão somente mostrar a viabilidade técnica de se mandar uma carga útil acoplada a uma vela que pudesse se desdobrar no espaço para “capturar” mais luz do Sol.

Agora, a missão do LightSail 2 é provar que a luz do Sol é capaz de impulsionar o veleiro para ele alterar sua órbita. Ele foi lançado por um foguete Falcon Heavy, da empresa SpaceX, no fim de junho.

Não foi preciso esperar muito para que os resultados aparecessem.



Na última quarta-feira (31), a Sociedade Planetária anunciou que conseguiu detectar que a órbita do LightSail 2 se ovalou um pouco, fazendo com que o apogeu ficasse 2 km mais alto do que o raio da órbita inicial, que era circular.

Essa distância é bem pequena em termos de navegação espacial, mas representa muito em termos de conceito: é verdadeira a ideia de que uma nave possa alterar sua trajetória no espaço usando somente a luz do Sol.

Com informações do site G1