Notícias de Última Hora

Seis caminhões carregados de madeira ilegal são apreendidos em Tucuruí

Foto: Divulgação
Em operação de fiscalização integrada realizada na sexta-feira (27), o Governo do Pará, por meio do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), Polícia Militar e Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), em parceria com o Exército Brasileiro e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Tucuruí, no sudeste paraense, apreendeu seis caminhões carregados de madeira ilegal, das espécies castanheira, maçaranduba, amapá, guajará e angelim vermelho.

Curte nossa página no Facebook e fique informado!

A apreensão, ocorrida no município de Tucuruí, resultou do trabalho de fiscalização realizado de forma contínua no Mosaico Lago de Tucuruí, Unidade de Conservação (UC) estadual gerida pelo Ideflor-Bio.

Os autos de infração foram lavrados pela Semas. A extração ilegal de madeira na região já vinha sendo monitorada pelos órgãos ambientais, e há fortes indícios de que tenha sido retirada de dentro do Mosaico Lago de Tucuruí. A extração de madeira da castanheira, por exemplo, é expressamente proibida em qualquer situação, já que a espécie está na lista de ameaçadas de extinção. A retirada das demais espécies apreendidas também é vetada por lei.



Destinação – A madeira está sob a guarda do município de Tucuruí, até que o processo de autuação seja finalizado pelos órgãos competentes. Após esse procedimento, será dada a destinação adequada ao material apreendido, que pode ser cedido, doado ou leiloado.

A operação tem o objetivo de garantir a preservação das espécies dentro da área protegida, explicou a gerente da Região Administrativa do Mosaico Lago de Tucuruí, Mariana Bogéa. “É garantir a manutenção da área de floresta, uma vez que esse pacto tem sido considerado nos limites da Unidade de Conservação do Lago de Tucuruí”, disse a gerente, acrescentando que o “Governo do Estado, por meio da parceria entre os órgãos, vem garantindo o cumprimento do decreto presidencial que fala em desmatamento e queimada zero”.


Agência Pará