Notícias de Última Hora

Com pouco público e enfraquecido, Lula já mudou de discurso: “Eu quero conversar”

O ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva parece já estar percebendo que o cenário político no Brasil atual não é o mesmo de anos atrás. Assim que saiu da cadeia o último dia 9 de novembro, o homem que ainda responde a nove processos judiciais tratou de apresentar um discurso bélico, incitando manifestações pelo país a exemplo do Chile. Mas, e o povo?


O povo não aderiu ao discurso raivoso de Lula, e a sua caravana que também passou pelo Nordeste, manteve um público de apenas 1000 pessoas em média. Um total fracasso para alguém que se considera o maior líder da esquerda na América Latina e certamente esperava ver multidões saindo às ruas em comemoração por sua liberdade.


Curte nossa página no Facebook e fique informado!

Ainda assim, Lula manteve a sua narrativa de feito, dizendo que o Partido dos Trabalhadores (PT) não precisa fazer autocrítica e que a esquerda tem que ir mesmo para a luta. Mas, e o povo? O povo tomou conhecimento de que o Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF-4) não só manteve a pena contra o ex-presidiário no caso do sítio em Atibaia, como aumentou a mesma de 12 para 17 anos de prisão.


Enquanto Lula tentou fazer parecer que o seu nome ainda é respeitado pela maioria e possui força política suficiente para arregimentar multidões- sem qualquer financiamento partidário de ônibus lotados com militantes trazidos das regiões mais pobres do país – o lado bom do poder judiciário cumpriu o seu papel e enterrou de vez a reputação da “alma mais honesta do Brasil”.

Mudança de discurso


Lula e a sua equipe de marketing político certamente já devem estar reavaliando as suas estratégias, pois nas redes sociais o homem condenado por corrupção e lavagem de dinheiro já apresenta outro discurso, como este abaixo:

“Eu quero conversar com muita gente. Quero ouvir o que os economistas tem a dizer. Quero ver esse país voltar a sorrir. E você que é bolsonarista: o Lula não veio brigar. Eu quero fazer política de alto nível. Quem quiser brigar vai brigar sozinho”, escreveu alguém no perfil de Lula no Twitter.



Em vez do tom raivoso de dias atrás, agora aparece um Lula querendo o diálogo até com os “bolsonaristas” (risos). Onde foi parar a confiança na convocação de manifestações a exemplo do Chile? O que antes foi um chamamento para a luta, agora é um pedido de conversa? Parece que sim, pois afinal, essa é a melhor saída que se espera de um inimigo quando reconhece a sua derrota.

Opinião crítica