Notícias de Última Hora

Contribuições sindicais caíram 96% nos últimos anos

O registro de novas entidades também caiu pela metade desde julho de 2017

Imagem: Reprodução/Agência Brasil
O fim da obrigatoriedade da contribuição sindical foi sancionada em julho de 2017 pelo então presidente Michel Temer (MDB).

As mudanças aplicadas chegaram bem perto de esgotar o principal financiamento dos sindicatos do Brasil, com queda de aproximadamente 96% na arrecadação.



Outro impacto foi a redução pela metade da quantidade de novos sindicatos aprovados pelo governo federal desde então.

No ano da aprovação da reforma, o total depositado na conta dos sindicatos foi superior a R$ 2 bilhões, em 2018 caiu para menos de R$ 300 milhões e despencou para R$ 88 milhões em 11 meses de 2019 — dezembro ainda não foi calculado.


Antes da mudança na lei, os trabalhadores tinham o equivalente a um dia de trabalho descontado anualmente.

Com a alteração, os sindicatos precisam da aprovação prévia e expressa de cada empregado para ficar com o valor.


Aparentemente, a maior parte dos trabalhadores do Brasil não está disposto a contribuir financeiramente com os sindicatos, que estão marcados na história como organizações políticas alinhadas a partidos de esquerda.

Com informações do portal R7