Notícias de Última Hora

PSOL diz que tem “crescente militância evangélica”

Comunistas acreditam ter alguma coisa em comum com cristãos

Militantes do PSOL (Foto: Wikipedia Commons/Reprodução)
O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) afirmou ter “crescente militância evangélica se engajando”, mesmo com sua defesa a temas contrários ao cristianismo, como o aborto e as drogas.

Segundo o presidente da sigla, Juliano Medeiros, “evangélicos progressistas, que defendem as liberdades individuais, os direitos civis, a tolerância e o respeito ao próximo” estariam se aproximando.


Os partidos com ideologias comunistas voltaram suas atenções para o crescimento dos evangélicos, que deve passar os 30% da população brasileira. A ideia é tentar reduzir a enorme rejeição que enfrentam no segmento.

A ideia de buscar uma reaproximação com o segmento partiu do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ao deixar a prisão orientou o Partido dos Trabalhadores (PT) a formar “núcleos evangélicos”.

Por mais que o tema soe como piada na internet, a idéia tem sido levado a sério pelos partidos que defendem o comunismo, uma das ideologias que mais perseguiu e matou cristãos no mundo.



Se você é evangélico, ou de qualquer outra religião, e defende o respeito ao próximo, a tolerância e as liberdades individuais, seu lugar é no PSOL. @julianopsol50 pic.twitter.com/REC6QnwssA

— PSOL 50 (@psol50) January 27, 2020


Através do Twitter, o PSOL convida os evangélicos a se filiarem, mas afirma, ironicamente, defender as liberdades individuais, sendo que apoia ditaduras comunistas como a da Venezuela e Coreia do Norte.