Notícias de Última Hora

Lula acusa seu ex-ministro Palocci de mentir em delação

Em depoimento à Justiça Federal de Brasília, o primeiro após deixar a prisão em novembro do ano passado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que seu ex-ministro Antonio Palocci mentiu ao relatar supostos diálogos entre eles sobre a aprovação de medidas provisórias que beneficiaram o setor automotivo nas gestões do PT.

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil
"Não só não é verdade, como é inverossímil essa ilação", disse Lula. O ex-presidente depôs nesta quarta-feira, 19, em interrogatório ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, em processo da Operação Zelotes, no qual é réu sob a acusação de ter cometido crime de corrupção passiva.


Em 2009, o governo do então presidente editou a Medida Provisória 471, que beneficiava empresas da indústria automobilística, um dos pontos investigados pela Operação Zelotes. A MP (Medida Provisória) prorrogou por cinco anos benefícios tributários destinados a empresas do setor.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), que denunciou Lula em 2017, a MP envolveu a promessa de pagamentos de vantagens indevidas a intermediários do esquema e a agentes políticos.

A Procuradoria também denunciou o ex-chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, e os empresários Carlos Alberto de Oliveira Andrade, do grupo Caoa, e Paulo Ferraz Arantes, da MMC - Mitsubishi.

Segundo a denúncia, Lula e Carvalho teriam recebido a promessa de R$ 6 milhões em pagamentos indevidos em contrapartida à edição da MP. A verba teria como destino campanhas eleitorais do PT.



Em um depoimento, em dezembro de 2018, em outro processo ligado à Operação Zelotes, no qual Lula também é réu, Palocci afirmou que ouviu do ex-presidente que foi feito um acerto para recebimento de valores que beneficiariam o filho de Lula, Luís Cláudio Lula da Silva, relacionado à tramitação de medidas provisórias para o setor automotivo.

Segundo Palocci, a conversa com Lula teria ocorrido em 2013, apenas entre ele e o ex-presidente, ou seja, sem testemunhas do encontro.


Com informações do Portal Roma News