Notícias de Última Hora

Mulher é presa por não aceitar fechar seu bar após decreto estadual

A fiscalização foi realizada em diversas cidades do Estado do Pará


Após o decreto estadual Nº 609 ser protocolado na última sexta-feira (20), estabelecendo, entre outras coisas, que bares, restaurantes e pontos similares só poderiam funcionar até às 00h de sábado (21), equipes da Polícia Civil e Militar foram às ruas de diversas cidades para garantir o cumprimento da medida, que visa prevenir aglomerações e possível transmissão do Covid-19.

Em Parauapebas, uma mulher chegou a ser presa por descumprir a solicitação policial para fechar seu estabelecimento comercial. O bar, que fica localizado na rua Sol Poente, no bairro da Paz, estava com aglomeração de pessoas e foi solicitado o fechamento, às 00h. Apesar disso, às 1h30, quando a polícia voltou ao local, o espaço continuava aberto e a proprietária, que se identificou como Ellydayany Costa dos Santos, se negou a fechar, alegando que seu horário de fechamento era às 02h. Ela filmou a guarnição, que deu voz de prisão por desobediência/desacatado em virtude de descumprimento do decreto governamental e a conduziu para a seccional do município.



Em Santarém, uma operação policial também foi deflagrada com o objetivo de fiscalizar o cumprimento da medida. Pela Polícia Civil, foram fechados 14 estabelecimentos comerciais nos bairros Caranazal, Liberdade, Mapiri, N. Sra de Fátima, Orla da Cidade, N. Sra Aparecida, Santíssimo, Interventoria, Diamantino, Área Verde e Jutaí. Outros estabelecimentos também foram fechados pela Polícia Militar.

Em Paragominas, a Operação, batizada de "Protozoa", fechou dois estabelecimentos. Já em Marabá, a operação foi chamada de "Patrulhão" e encerrou a atividade de 30 bares, casas noturnas, boates e restaurantes. Em Breves, 10 estabelecimentos foram fechados. A ação também ocorreu em Rurópolis, Castanhal e outros municípios.


Fonte: Oliberal