Notícias de Última Hora

#BoraTrabalhar: Tocantins adere ao “Isolamento Vertical” defendido por Bolsonaro


Um novo Decreto do Governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, publicado no Diário Oficial desta segunda-feira, vai possibilitar a reabertura estabelecimentos comerciais em todo o Tocantins. Entretanto, como o documento estabelece recomendações, caberá a cada prefeitura definir como aplicará as novas normas.


De acordo com o Decreto, ficaria permitido o funcionamento de estabelecimentos comerciais que realizarem atividades e serviços privados não essenciais, mantendo-se rígido controle de acesso para evitar aglomerações, estimulando a lavagem das mãos, o uso de álcool em gel 70% e a observância da etiqueta respiratória. O Tocantins completou 30 dias de isolamento social com um número estável de casos confirmados e nenhum óbito causado pela Covid-19.

O ato recomenda ainda a migração de um isolamento mais severo para um Distanciamento Social Seletivo. É o mesmo conceito do Isolamento Vertical defendido pelo presidente Jair Bolsonaro e se caracteriza por manter apenas alguns grupos isolados, selecionados por apresentarem mais riscos em desenvolver a doença, ou mesmo aqueles que podem apresentar um quadro mais grave, como idosos, pessoas com doenças crônicas (diabetes, cardiopatas, dentre outros), além de condições como obesidade e gestação de risco.

O Governo segue a retomada das atividades com o apoio de todos os poderes e membros do Comitê de Crise, que vê a necessidade da retomada das atividades para restabelecer a saúde econômica do Tocantins. O Decreto garante o uso das forças de segurança do Estado para apoio às atividades de fiscalização nos municípios.

Entenda as Mudanças


No dia 21 de março, em razão da pandemia da doença Covid-19, o Estado declarou estado de calamidade pública com o Decreto nº 6.072. Dentre as várias ações contidas está a prestação de serviço de transporte coletivo urbano e rural, bem como coletivo intermunicipal de passageiros, público e privado, que exceda à metade da capacidade de usuários sentados, ou qualquer evento que leve à aglomeração de pessoas, dentre outros como a autorização do trabalho remoto para grupos específicos.



“O ponto que será flexibilizado são os pontos que recomendavam apenas o funcionamento de serviços essenciais, considerados pelo Decreto Federal. Os serviços voltarão gradativamente à sua normalidade e serão monitorados semanalmente, ou até diariamente em cada cidade sob a orientação da manutenção e respeito às regras sanitárias”, complementou o secretário da Casa Civil, Rolf Vidal.


Fonte: Portal Novo Norte