Notícias de Última Hora

Fachin cobra resposta da PGR em investigação contra Maia

Polícia Federal apontou que há indícios de recebimento de propina pelo presidente da Câmara

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados Foto: Estadão Conteúdo/Felipe Rau
O relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Edson Fachin, pediu ao procurador-geral da República, Augusto Aras, que se manifeste, com urgência, sobre se pretende denunciar o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ou solicitar o arquivamento de uma investigação em que ele e o pai, Cesar Maia, foram citados.

Rodrigo e Cesar Maia apareceram como delatados por executivos da Odebrecht. Segundo os delatores, o nome do presidente da Câmara constava nas planilhas de propina como “Botafogo”. A Polícia Federal concluiu, em 2019, a investigação aberta em 2017 e apontou indícios de que Maia e o pai cometeram crimes como corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro.


– Os elementos probatórios colhidos nos permitem afirmar com segurança sobre a realização de solicitações indevidas entre os anos de 2008 e 2010 por parte do deputado federal Rodrigo Maia e o atual vereador da cidade do Rio de Janeiro Cesar Maia no valor total de R$ 1.800.000,00 – dizia o relatório entregue em 2019.

Quando o documento foi entregue, Fachin deu um prazo de 15 dias para a então procuradora-geral Raquel Dodge se posicionar sobre a questão, porém, até hoje, não houve resposta da PGR sobre o fato. Já sobre o novo pedido, o procurador-geral já foi notificado.

A informação foi revelada pela CNN Brasil