Notícias de Última Hora

Dario Messer: Justiça condena doleiro a 13 anos de prisão


A Justiça Federal do Rio condenou nesta segunda-feira (17) o doleiro Dario Messer a 13 anos e 4 meses de prisão em regime fechado na Operação Marakata, desdobramento da Lava Jato, pelo crime de lavagem de dinheiro.

O “doleiro dos doleiros”, como é conhecido, já havia feito acordo para devolver R$ 1 bilhão aos cofres públicos, em acordo de delação premiada fechado de maneira inédita com o Ministério Público Federal.



Esta é a primeira vez que Dario Messer é condenado na força-tarefa da Lava Jato. No entanto, ele foi absolvido da acusação de evasão de divisas.

A sentença é do juiz Alexandre Libonati, da 2ª Vara Federal Criminal do Rio. Vale salientar que o juiz não permitiu que Messer recorra em liberdade, e também determinou a expedição de mandado de prisão após a pandemia da Covid-19.

Messer ainda é réu em outras duas ações penais, decorrentes das operações Câmbio, Desligo e Patrón, que tramitam na 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

Messes delata os Marinho


De acordo com a denúncia apresentada pela revista Veja, o doleiro disse em delação premiada que fazia entregas em dinheiro vivo na sede da TV Globo, no bairro do Jardim Botânico, no Rio. Os pacotes eram levados de duas a três vezes por mês.



As quantias, segundo Messer, variavam entre 50 mil e 300 mil dólares. O doleiro confirmou também que o dinheiro era destinado aos irmãos Roberto Irineu e João Roberto Marinho.

Dario Messer é investigado pela Lava Jato acusado de lavar dinheiro para empresários e políticos envolvidos em corrupção.

Com informações R7