Notícias de Última Hora

Preso pela FAB com 518 kg de cocaína estava em liberdade por decisão do STF


A Polícia Federal apreendeu, na tarde de domingo (02), com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) mais de uma tonelada de cocaína e prendeu em flagrante três homens responsáveis pelo transporte da droga. Um deles, o piloto Nélio Alves de Oliveira, de 70 anos, preso durante operação tinha sido condenado a mais de 21 anos de prisão, por tráfico internacional de cocaína em 2014, no entanto, foi solto pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski.


As prisões e apreensões ocorreram em duas ações desencadeadas no interior do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, respectivamente.

Na primeira, um avião monomotor foi interceptado e recebeu ordem para realizar pouso obrigatório em Rondonópolis/MT. Após a abordagem realizada pela PF, com apoio do Grupo Especial de Fronteiras – GFRON/MT, foram encontrados, no interior da aeronave, aproximadamente 487 kg da droga que foram apreendidos. Dois homens que pilotavam o avião foram presos em flagrante pelos policiais federais.


Caças transportavam drogas que possivelmente embarcaram em outros países
Na segunda ação, um avião bimotor foi interceptado em Três Lagoas/MS, recebendo ordem de pouso. A aterrissagem acabou ocorrendo nas proximidades da cidade de Dourados/MS. A bordo, os policiais federais encontraram cerca de 517 kg de cocaína. O piloto também foi preso em flagrante com o apoio da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul.


Nas duas ocorrências, as ações foram efetuadas a partir de dados de inteligência colhidos em investigações da PF e compartilhados com a FAB para que fossem executadas as medidas de identificação e localização das aeronaves que estavam com a droga. As ações fizeram parte da Operação Ostium, da FAB, deflagrada para coibir ilícitos transfronteiriços.

A parceria entre PF e FAB na região tem possibilitado a identificação e interceptação de várias aeronaves utilizadas pelo tráfico de drogas, resultando em grandes apreensões na região. As aeronaves apreendidas pela PF, após os trâmites legais, poderão ser utilizadas no combate ao tráfico de drogas.